sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

O SILÊNCIO


Jailson Freire

Um dos sentimentos que mais dói na alma humana é o abandono.

Dói nas profundezas da alma ser ignorado. Isso nos coloca em posição inferior. Isso angustia e enche de amargura o nosso âmago.

Não entendemos o porquê somos tratados assim. Isso cega a nossa compreensão do que é viver por aqui.

Há nesses momentos, um sentimento de desânimo e autocomiseração, que não rara às vezes, joga a nossa auto-estima para os mais profundos recônditos da nossa existência. Buscamos forças e não encontramos. Buscamos esperanças, e nem mesmo ela parece mais existir.

Imagine se o próprio Deus fica em silêncio quando mais precisamos ouvir a sua voz. Pensamos então, que até Ele parece ter se aliado com os que nos colocaram nos porões da nossa existência; sentimos-nos desgraçados.

Deus gosta de nos ensinar a viver. É próprio de sua pedagogia ficar em silêncio diante de algumas orações que fazemos.

Você pode até não entender em quanto durar a crise, mas vai aprender a lição. Vai entender que é na crise e no silêncio divino que somos treinados a compreender o significado da altura, largura e profundidade do Seu amor.

Por isso, quando Deus ficar em silêncio, ouça o que ele tem a dizer.
“Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei;Com um pouco de ira escondi a minha face de ti por um momento; mas com benignidade eterna me compadecerei de ti, diz o SENHOR, o teu Redentor.” Isaias 54:7;8

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

A SUA VIDA VAI FICAR BEM



Jailson Freire

Não. Não pode desistir... Ainda tem muita lenha pra queimar... Ainda tem muita vida pra viver! Ainda tem muita história pra contar...
Claro... Eu sei... A coisa pode até não parecer bem, mas ainda não é o fim. O fim só chega quando as flores não nascerem mais para nós... E isso ainda não aconteceu. Não é?
Ainda há muita coisa a ser feita. Muita gente precisa da gente. Muita gente vive um desastre e daria tudo para trocar a dor que sente pela a que você vive agora... Talvez fosse menos mal... Quem sabe?
Ou talvez nem tanto assim... Mas vá lá... Todos nós sabemos que isso vai passar em algum momento, vai passar. Pode até demorar, eu sei, mas no final a gente sai muito mais forte dessa tempestade.
Sei que muitos sonhos foram destruídos com o passar dos tempos, mas e daí... Vai desistir por isso? Porque não sonhar novos sonhos? Porque não tocar o barco da vida adiante. A final, é para frente que se anda.
Ainda que o vento sopre forte, se o Amigo eterno está no barco não há o que temer... Pague para ver!
Sim... É claro que imagino o que sente, mas veja bem: Não dá pra ficar parado no campo sem chutar a bola para o canto... Claro, pode até bater na trave, mas um dia ela entra... Ah entra!
As lembranças? As mágoas? Os danos sofridos? Que isso? Tente não reviver o que já passou... O leite que derramou, já era... Agora é seguir em frente e continuar na espera.
Como dizem... A fila anda e a vida acontece. A música continua tocando e você precisa sair do seu cantinho de mofo existencial e entrar na pista para dançar.
O Maestro da existência veio a este mundo! A sua vida vai ficar bem...

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

SE PRECISAR, JOGUE A TOALHA!


Jailson Freire

A luta parece mesmo perdida. O caos tomou conta de tudo que o cerca. Não conseguiu dá um golpe certeiro se quer. O ardiloso adversário não parou de socar a sua alma e você está quase desfalecendo. São golpes cruéis e sem piedade. A cada disparo a dor se multiplica e as lágrimas rolam como prenúncio de um fim patético... Parece mesmo faltar muito pouco para o seu fim. Você está preste a desistir... E aí?

Não é difícil imaginar o tamanho da dor existencial que um guerreiro precisa enfrentar para continuar na batalha. São muitos os laços de morte. Muitas as armadilhas forjadas nos porões da maldade. São nesses momentos que até os que parecem irmãos, tornam-se como os que conspiram contra nós.

Somos cercados por todos os lados, nos vendo por vezes, na ante-sala da morte.

Todavia, até mesmo um guerreiro sabe quando jogar a toalha. Sabe que o ultimo recurso para vencer uma luta pode está em seu treinador. Sabe que um grito de socorro não é sinal de covardia, mas de opção pela vida. Sabe que Ele sempre nos ouve. Sabe que Ele nos vê como filhinhos amados...
Que tipo de pai deixaria seu filho padecer sem que enviasse o socorro urgente?

Sabe que lutar sozinho não é a melhor escolha a ser feita. Sabe que a batalha pode até parecer perdida, mas que no ultimo instante o justo Juiz sempre levantará seus braços declarando você o vencedor do embate.

Jogar a toalha pode parecer o momento mais humilhante para um boxeador, mas se precisar jogar a toalha, jogue aos pés do Treinador eterno; o socorro sempre vem!


DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia”Salmo 46:1

terça-feira, 11 de novembro de 2008

NÃO CONTAVA COM A CRIPTONITA...




Jailson Freire



Um olhar acende o desejo que começa a arder por toda estrutura elaborada para outro fim. O desejo aumenta covardemente. Uma guerra é estabelecida e agora é pagar pra ver:

“Quem será o vencedor desta batalha? Será que suportará por muito tempo? Será que terá coragem de negar a concessão de algo tão bom? Não... A minha aposta é de que vai ceder... Sabe que depois surgirá o previsto gosto amargo, mas não importa; o doce antes do fim amargo é espetacularmente delicioso para faze-lo desistir agora...”.

Sabe que podia ter evitado o caminho, mas achou-se apto a contornar a situação. “Achava mesmo que era forte o suficiente?”.

Agora o dilema grudou na alma que está perturbada o suficiente para perder a autonomia de uma decisão sábia e inteligente.

Muitas vezes foi avisado e advertido que, apesar do gosto doce e maravilho, o fim seria pior que fel. Muitos exemplos contados a respeito do fim de outros super-homens que não contavam com a terrível criptonita.

“Achava mesmo que estava abarrotado de poder? Agora parece mais um soldado mutilado e sem as armas, segurando o que restou do capacete”.

Subestimou o inimigo e achou mesmo possível ir a guerra sem o comando do general supremo...

Agora precisa de algo para acalentar a dor de uma batalha vencida.

Venha, veja... Sabe com quem pode contar... Sabe que precisa reavaliar a estratégia de guerra. Sabe que sozinho não passa de uma criança e que só é possível vencer a guerra interior contra um exercito carnal através do elemento vermelho que escorreu num madeiro maldito em tempos passados.

É chamado ao exame e a reavaliação do ocorrido para só então tomar do alimento que trará o revigoramento para a próxima batalha que logo será apresentada a você.

Bom... O que importa é que estás vivo para a realização do concerto em seu equipamento de guerra.



Vamos! Levante e marche! Hum! Marche! Hum! Marche!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

JOGUE O JOGO, MAS JOGUE ATÉ O FINAL!


Jailson Freire

O relógio começa a contar no dia em que inspiramos pela primeira vez. A partir deste momento, é que começa ser contada a nossa saga. Uma história inteira começa a ser contada. O final, já foi escrito e só um pode conhecer: o autor de toda existência.

O que se espera para os próximos minutos é sempre o próximo capítulo. A história precisa ser contada até o fim, mas para que cheguemos ao fim, muita coisa precisa acontecer durante a história que se iniciou com um divino inspiro.

Uma estrada nem sempre pavimentada e isenta de buracos, é o que encontramos, ao contrário, muitas curvas perigosas e estradas de chão empoeirado, é o que quase sempre temos que enfrentar.

De tudo o que passamos para chegar ao fim da saga de nossa existência, somos obrigados a participar do jogo da vida e isso é algo estimulante para alguns, quanto deprimente para outros.

O jogo da vida é cruel e frio. Vence o que melhor estudou o inimigo. Vence quem melhor dedicou-se ao conhecimento das armadilhas forjadas. Vence quem caminhar sob a luz. Vence aquele que não se abateu no primeiro golpe do inimigo. Vence quem não se deixou levar pelas palavras de desânimo do que desistiu no meio do caminho e que cochilam enquanto o filme de sua própria existência se desenrola sem que este se dê conta.

E você? O que pretende fazer diante deste obstáculo que apareceu no desenrolar do jogo de sua existência? Sim eu sei... É como uma muralha, mas e daí? Vai voltar do meio do caminho? Acha mesmo possível voltar à nave de proteção que viajou por nove meses?


Isso já aconteceu antes: Uma cidade almejada e cercada por uma imensa muralha. Um líder bem orientado. Um povo cheio de expectativas. E paciência para rodear os muros por sete longos e cansativos dias sob um sol escaldante e um frio congelante.

Um ato de obediência e fé e uma dedicação exclusiva ao objetivo; uma muralha enorme em poucos segundos é transformada num monte de escombros e pó.


Tomar posse da cidade agora, uma realidade alcançada. Esse é o jogo da vida.


Sendo assim, jogue o jogo, mas jogue até o final.

Josué 6 - Hebreus 11 : 30

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

COMO SE HUMILHA UM GIGANTE


Jailson Freire

Um duelo esquisito está para acontecer e o final está praticamente definido pelos que assistirão o embate.

A lógica nos antecipa o placar. Com ela, é possível saber de antemão quem irá vencer essa batalha desproporcional.

Sem chance para o menino... É só questão de segundos e ele terá sido massacrado pelo gigante. O Gigante? Esse não faz outra coisa a não ser debochar de um garoto que pensa poder destruí-lo.

Vamos lá... Vamos imaginar a cena: Uma funda e algumas pedrinhas na mão de um garoto; um adolescente. Um gigante exibindo uma reluzente espada e um montão de covardes fazendo suas apostas. Muitos balançando a cabeça e dizendo: “Quem esse moleque pensa que é?”. Outros: “Isso só pode ser uma piada.

Mas ao contrário de ser uma piada, a coisa é muito séria. Quem vencer leva um reino intero pra casa e pelo andar da carruagem todos já fizeram as suas apostas em quem será o próximo rei.

O garoto parece não ter noção de quem vai enfrentar... Para ele, apenas um bobalhão rosnado palavras sem sentido, uma vez que estava certo de sua impressionante vitória. Impressionante pelo menos para os que estavam assistindo as preliminares de um duelo desengonçado.

É claro! O menino não estava sozinho; ele sabia disso.

Toma a sua "arma"... - (Que arma para derrotar um gigante!) E começa a girar com disposição e fé. Não demora muito e um enorme silêncio se faz...

Quem podia acreditar naquela cena pitoresca? Um gigante transformado em dois: um corpo e uma cabeça.

Tudo isso aconteceu e a confiança do garoto estava bem alicerçada. Ele sabia em nome de quem fizera tamanha proeza. Ele confiou como um menino confia em seu pai. Ele enfrentou a coisa de frente. Ele fez a sua parte; a parte que lhe coube. Ele foi além... Ele rompeu. Ele enxergou o tamanho do seu Deus por trás do gigante. Ele mostrou para todos de que forma gigantes se tornam pequenos. Ele mostrou para nós como se humilha um gigante.

Qual é o seu gigante?

I Samuel 17

terça-feira, 21 de outubro de 2008

A MÃO GELADA E MORTA DO PASSADO


Jailson Freire


Você deve esquecer completamente do que passou. Você deve mesmo esquecer coisas passadas e que atormentam a sua vida; que tira a sua alegria... Precisa sepultar definitivamente aquela história maldita que vivenciou.

Lembranças medonhas atormentam a vida de muita gente que insiste em rejeitar o dom que nos foi concedido pelo Pai das luzes e que mesmo assim relutam em receber o que nos foi dado gratuitamente em certo momento da história.

Não é mais necessário alimentar essas coisas que covardemente nos levam a um estado de angústia por conta de algo que foi feito em algum momento da nossa existência.

Por certo, houve um sacrifício e por conta deste sacrifício não é mais necessário carregar o passado que tanto possa te angustiar. Não convém ressuscitar o que deverá continuar morto.

O que morreu não pode mais voltar. O que morreu deve ser sepultado e esquecido. O que morreu deve ficar no lugar de esquecimento.

Você precisa lembrar do sacrifício. Tem que lembrar do sangue... Tem que lembrar do grande e etreno amor... Precisa lembrar da cruz. Isso é suficiente para viver e seguir em direção ao alvo.

Lembrar do passado é como ter uma mão morta e gelada em suas costas; só serve pra dá arrepios.

Uhhhhhhhh!



Filipenses 3 : 13

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

O JUIZ QUE LALAVA OS PÉS


Jailson Freire

A posição que ele ocupava era a de maior honraria na cidadezinha. Era um juiz. O homem que mandava e desmandava, que prendia e soltava. Implacável na busca e execução da justiça. Não deixava que alguém que cometesse algum crime ou delito ficasse impune. Aplicava a lei sem titubear. Entretanto, era excessivamente orgulhoso e prepotente, mesmo se declarando por muitas vezes um juiz cristão.

Num dia como outro qualquer, vestiu-se e como todos os dias fazia, pegou o seu carro e partiu rumo ao tribunal de justiça. Era dia de julgamento.

Um homem, um criminoso estava preste a receber a merecida justiça. Seria condenado a muitos anos de prisão e isso era dado como certo até mesmo pela defesa do homem.

Ao chegar no tribunal de justiça, o juiz começou a sentir-se mal, mesmo assim resolve que o julgamento do tal homem prosseguiria normalmente.

Como todos os dias, religiosamente, antes de entrar na sala do tribunal do jure, o juiz ajoelhava e fazia a sua oração.

O julgamento seguiu normalmente e o homem foi condenado a uma pena exemplar por ter matado uma pessoa importante naquela cidade.

O juiz, ao sair da sala, sentiu-se muito mal e alguém pegou uma cadeira a fim de que ele pudesse sentar, mas ao invés de sentar ele ajoelhou e fez uma oração silenciosa. Quando se levantou, parecia ter chorado... Pediu a alguém que trouxesse um balde com água e uma toalha...

A cena que se viu logo depois foi no mínimo inusitada...

O juiz pegou o balde contendo água que trouxeram, e numa atitude escandalosa de demonstração de humildade, chamou o preso condenado... Os soldados trouxeram-no e o condenado com muita dificuldade por estar acorrentado, caminhou em direção ao juiz. O juiz se agacha e começa a lavar os pés do preso. Todos ficam escandalizados com a atitude do magistrado. Havia muito jornalista presente que fotografaram a cena. Um escândalo havia acontecido na cidade e precisava ser registrado...

Daquele momento em diante, dois homens foram libertos: O juiz, pois apesar de ser um cristão precisava ser liberto e quebrantado de seu orgulho prepotente e religiosidade rasa.

O condenado também foi liberto, pois só depois de ter seus pés lavados é que se lembrou de que há um Deus, e comovido, chorou arrependido pelo crime que havia cometido.

João 13, 5 a 9

domingo, 5 de outubro de 2008

QUEM DESISTIU DE VOCÊ?


Jailson Freire


( Baseado em fatos reais - história de um jovem que se encontra internado em um manicômio por causa das drogas - Eis um motivo para nossas orações)


Uma estória que teve um começo conturbado e que até hoje não se sabe bem o “porquê” tudo aconteceu na vida desse jovem. Podia até ser diferente, mas foi assim que o destino quis fazer começar esta estória.

Um parto complicado, muita dor e uma mãe que deseja ver o filho, mas que não pode ter este privilégio. A vida não lhe deu esse presente.

Quem poderia imaginar que acabaria assim? Quem poderia imaginar que a inexistência de alguém que foi tão amada antes mesmo que a criança pudesse conhece-la seria algo marcante e doloroso para uma vidinha tão pequena.

Ainda restava o pai, mas este não se apresentou. Este apenas culpou um inocente por algo do qual não teve qualquer culpa. O resultado seria visto ao longo do tempo da existência do menino.

Ser órfão de alguém que foi chamada à eternidade talvez pudesse até ser suportado, mas órfão de alguém que estava tão pertinho... Ah isso seria demais!

"Estava sempre ao meu lado e tão distante... Sempre fazendo questão de não me encontrar no corredor da casa. Sempre chegando mais tarde só para não ter que me olhar nos olhos. Eu já havia sido julgado e condenado e o veredicto? CULPADO!"

Culpado por ter vindo ao mundo... Isso custou uma troca da qual o pai não havia combinado com o destino. Culpado por ter provocado o ultimo suspiro da mãezinha amada. Era isso o que seu pai pensava...

"Não tive culpa... Sinto tanto quanto ele a falta dela..."

Sua ausência o fez agir como se a vida fosse completamente sem valor. Sua ausência o tornou rebelde com tudo e todos. Sua ausência levou ele a andar na contramão do que o Pai dos Céus havia traçado para ele.

"Sei que vou encontrar o caminho de volta... Sei que haverá um retorno em algum lugar dessa estrada... Sei que a mão do outro Pai está estendida e um dia, eu sei que tudo isso vai ser passado...

Um dia quando me perguntarem: “Quem desistiu de você?” Vou responder que quase todos, menos Deus."
SALMOS 27:10

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

NÃO DEIXE QUE ENTULHEM O SEU POÇO!


Jailson Freire

No decorrer da nossa existência, sentimos que a água que jorrava outrora já não jorra com a mesma intensidade. Que a fonte parece estar definitivamente secando. Que a vida já não tem mais o mesmo sabor. Que a água já não se faz mais fresca.

Sentimos que os anos ditos dourados agora não passam de lembranças embaçadas e opacas. Sem brilho e apagadas... Desejamos que essa realidade seja mudada, mas nos sentimos sem forças para realizar as mudanças.

Juntamos forças e motivações para começamos a cavar a terra em busca de esperança; em busca de água...Da água viva. Cavamos porque sabemos que isso pode sim ser possível. Porque temos motivação reencontrada na esperança depositada no semeador de esperança... No Deus que nos instrui a acreditar no “agora vai dar certo”.

É uma certeza estranha, mas latente em nosso interior de que a fonte vai jorrar. De que encontraremos águas frescas e límpidas neste novo empreendimento existencial.

Entretanto, é possível que no decorrer da empreitada, durante a escavação, apareçam os entulhadores de poços. É possível que os plantadores de desesperanças surjam do nada, pois o objetivo sempre será impedir que você colha da água da vida para uma existência feliz.

É possível até mesmo que os que vão tentar entulhar o seu poço estejam muito próximo a você e de sua realidade.

Todavia ouça! Não importa quantos são e quem são os que semeiam a desesperança em seu coração... Aconteça o que acontecer, você vai beber de uma nova água.

Anime-se e não deixe que entulhem o seu poço.



GÊNESIS 26: 15 a 22

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

ISSO É PRA VOCÊ NÃO SE ESQUECER!


Jailson Freire


Não pode ser só isso a vida! Tem que ser mais que só comprar ou vender. Tem que ser mais que só adquirir bens e coisas... Precisa ser mais do que tão somente pagar e receber. Se a vida está resumida a apenas essas coisas, então melhor seria não existir.

Essas coisas, e a busca por elas nos fazem esquecer do que mais importa. Nos fazem esquecer do verdadeiro motivo da existência. Essas coisas quase sempre levam pessoas à dor e morte. Essas coisas são fortes motivos para que amemos o que não deveríamos amar e deixemos de amar o que devemos amar.

Coisas nos levam a um frenesi de buscas e labutas que, um sábio disse certa vez: “É vaidade”.

Essas coisas entulham a nossa alma de “coisas”. É fato que só depois de adoecermos na busca incessante para consegui-las é que concluímos que não valiam tanto assim...

A final o que importa mesmo?

A nossa alma tem fome e sede... A nossa alma tem fome de amor... Sede de esperança, não a esperança que nos levam a conseguir “coisas”, mas a que nos levam para perto do nosso Criador. A nossa alma precisa lembrar a cada manhã que Ele nos ama incondicionalmente. A nossa alma necessita de sinais, pois eles nos ajudam a lembrar.

A nossa alma necessita saber que o Deus do universo, o Senhor de toda existência. O Soberano do visível e invisível, apesar de nossa insignificância nos ama.

Deixou um recado que deve ser lido regularmente e sistematicamente para nunca esquecermos do seu amor e sacrifício por nós. Deixou o símbolo para que pratiquemos em memória Dele; isso não nos deixa esquecer do que fez para que as “coisas” perdessem a importância diante da vida plena na cidade do “Eu Nunca Vou Morrer”. A vida eterna!

Deixou a comunhão. Deixou o vinho e o pão... Isso é para você nunca se esquecer!

I Coríntios 11 : 25

domingo, 31 de agosto de 2008

A SENHORA AINDA ESTÁ POR AQUI...


Jailson Freire

Estranho como existem pessoas que parecem ter vindo ao mundo apenas para passar por situações das quais não se pode ter qualquer controle e que geralmente as deixam jogas de joelhos ao chão, impotentes e sem reação diante do caos em que a vida reserva a elas.

Uma senhora que com o rosto marcado pela angústia de ver o sofrimento do seu único filho com aquela enfermidade em seus ouvidos e que o fazia sofrer a muito tempo, me fez lembrar da mãe do nosso Senhor, quando via o seu filho sangrando na cruz. Definitivamente não é fácil passar por isso!

Percebi que ela precisava naquele momento, se achegar em busca de alguém que emprestasse um pouco de atenção ao drama que ela vivia e que precisava desesperadamente compartilhar.

Ela me escolheu como ouvinte de seus dramas existenciais, foi o que aconteceu...

Não me perturbei no início com tanta desgraça contada por ela... Sua mãe morreu de forma misteriosa... O pai morreu nos seus braços... Irmão de maneira trágica... Foi criada por estranhos...

Seria mais fácil dizer uma palavra de alento se eu tivesse experimentado dor semelhante, mas não. Isso sim começou a perturbar-me. Não tinha experiência semelhante e nem pior para minimizar a dor dessa mulher, mas mesmo assim o meu Deus, me fez lembrar de que eu podia não ter experiência que pudesse fazer aquela mulher se sentir melhor por ter encontrado alguém com uma estória de vida e dor, quem sabe até pior que a dela, mas que eu tinha sim, a história do Seu Cristo para contar.

Lembro-me bem de ter dito a ela: “A senhora é uma vencedora! A senhora é uma guerreira! A senhora ainda está viva! O seu filho ainda está vivo! Ainda há esperança; a senhora ainda está por aqui!”.

Ao final da conversa ela levanta as mãos para o céu e agradece por saber que alguém havia sofrido o suficiente para fazer a sua estória se tornar um conto que logo passaria.

Depois disso o que eu pude contemplar foi uma mulher com um sorriso que segundo ela, fazia tempo não acontecia em seu rosto. Percebi então, que acabava de ser gerado fé em seu coração sofrido.

E você? Por quê você acha que ainda está por aqui?
SALMOS 09:18

quinta-feira, 31 de julho de 2008

BONS TEMPOS


Jailson Freire

Rememorar algo que aconteceu e que nos encheu o coração de alegria devia ser sempre uma forma de exercitar a nossa capacidade de viver e encontrar nas lembranças bons exemplos de que a vida pode sim valer muito à pena.

Por outro lado, não vale esforço algum colocar a nossa memória à disposição de lembranças do que possa ter nos marcado negativamente. É bem verdade que fatos que nos entristeceram devem ser jogados no abismo do esquecimento, pois reviver coisas que não significam motivos para nos alegrarmos pode ser apenas mais uma forma de tortura que a nossa mente produz para fim nenhum, salvo as pouquíssimas exceções.

Bom mesmo é relembrar dos tempos da nossa infância... As brincadeiras que nos davam o prazer de ter vivido um excelente dia em nossa existência. Bom mesmo é relembrar dos amigos que ficaram na nossa história e que também nos alegraram. Bom mesmo é nos divertirmos com as lembranças que nos fizeram gargalhar até derramar lágrimas.

E quanto aos erros? E quando as falhas? E quanto às mágoas? Porque não devemos relembrar essas coisas? A resposta é simples e a sabedoria popular já inventou uma frase que na verdade é uma reedição do que nosso Pai nos ensina em sua bendita palavra.

“Águas passadas não movem moinho” .

Uma frase que define bem o que o Pai dos céus dissera através do seu profeta.


Diante disso, vamos falar de coisas que trarão boas lembranças ao seu coração... Vamos falar de você mesmo... Vamos falar da importância da sua existência.


Vamos falar dos Bons Tempos!


(Isaías 43 : 25).

segunda-feira, 14 de julho de 2008

ISSO É IMPOSSÍVEL!




Jailson Freire

O impossível é uma realidade, principalmente por ser realizado tão somente pelo eterno e supremo do universo; o Pai das luzes...

Coisas impossíveis e espantosas são realizadas através da fé no criador e em suas promessas divinas, restando-nos tão somente descansar na possibilidade iminente do impossível acontecer

Sobrenatural? Apenas uma forma de expressão na perspectiva de quem é natural. Mas para o Rei do universo é absolutamente natural o que chamamos de milagre, pois Ele é o realizador da vida e de tudo que se possa enxergar.

As maravilhas só são maravilhas quando esbarram em nossas limitações para compreender o que é absolutamente natural para Deus.

Somos humanos e humanos são limitados e é nessa limitação que nos empenhamos para obter o inacreditável quando até mesmo esse empenho é uma forma simples de milagre, pois só é possível ter fé, se a mesma for introjetada em nós pelo Deus da vida.

Agora, de uma coisa esteja certo: A única coisa realmente impossível é alguém que já tenha experimentado uma forma qualquer de milagre, deixar de crer no realizador do milagre... Ah... Isto é impossível!

terça-feira, 24 de junho de 2008

AH... SE O GALO NÃO CANTASSE


Jailson Freire

Seria impossível uma sobrevivência espiritual se em sua audição não tivesse incluído o alarme celestial e extremamente necessário.

A capacidade que temos para esquecermos de algo tão sublime e real chega a ser vergonhoso. Não lembramos nem se quer do gosto do vinho e sabor do pão que comemos na semana passada, num domingo de sol para a nossa existência.

Os nossos desacertos são constantes e nossa capacidade de errar o alvo é infinitamente maior a que temos para acertar o centro do círculo. Não há treinamento que baste para que ao menos cheguemos perto do ponto central.

Tentamos fazer tudo certo e nem mesmo o certo se torna certo quando colocamos uma pitada de nossa capacidade e ego. Nem mesmo as melhores intenções nos tornam aptos a nos orgulharmos de nós.

Tentamos minimizar essa incompetência da nossa alma com atitudes politicamente corretas e com isso nos achamos incluídos na síndrome do menino bom, mas nem mesmo isso pode endossar a credencial para a entrada na terra do “Eu Nunca Vou Morrer”.

Ah se não fora o canto! Ah... Se não pudesse ouvir por pelo menos duas vezes a estridente melodia! Ah, se o alarme não soasse! Ah... Se o Espírito não falasse!
Ah! Se o galo não cantasse!

Marcos 14: 68

terça-feira, 3 de junho de 2008

QUANDO A TEMPESTADE CHEGAR


por Jailson Freire


Esperta, perspicaz e inteligente o bastante para planar por horas a fim de garantir a sua sobrevivência. Símbolo de poder e superioridade para povos e tribos.
Sabe se safar com bastante envergadura dos infortúnios subindo tão alto quanto necessário para o caso de necessitarem de abrigo nos momentos de crises.
Implacável para com os inimigos e presas, não deixando chance para defesa de seus oponentes. Rápida, sagaz. Não se deixa abater nem mesmo quando debilitada.

Quando necessário, recolhe-se para passar pelo processo de transformação e renovação para que sua existência seja estendida por muitos anos.

Enxerga como ninguém, podendo planejar bem tanto a sua defesa como o ataque aos seus inimigos naturais. Voa tão alto que só conhece tempestades de cima, descansando em lugares seguros e altos.

É assim a águia. É assim os que confiam no Criador. É assim os que confiam que quando a tempestade chegar poderão voar bem alto e assistir a devastação de cima.



(Isaías 40 : 31)

domingo, 25 de maio de 2008

NÃO HAVERÁ CALVÁRIO OUTRA VEZ


por Jailson Freire


São assim mesmo os dias... Minuto a minuto e logo um novo dia se faz diante de nós. Logo se transformam em histórias que dependendo do ponto de vista, pode ser uma linda história ou um conto de horror.

No decorrer de cada história vivida, muita sujeira é depositada na existência da humanidade. Muitas mazelas são somadas à vida de cada um de nós. Muita culpa debitada no banco da nossa existência, onde os juros, geralmente são impagáveis para qualquer um que caminhe por essa terra.

Uma dívida que além de impagável é também interminável, e que cruelmente esmaga a alma de qualquer um que tenha existido neste planeta.

E nem por isso todos os dias passados devem ser esquecidos... Nem toda lembrança deve ser apagada, nem toda história perde o valor com o passar dos dias, principalmente se dessa história depender toda as outras histórias. Principalmente se o fato ocorrido na história for o passaporte para além da que vivemos.

Nunca mais acontecerá fato semelhante ao que nos torna elegível para vivermos a vida que não é essa. O visto de entrada na cidade eterna só foi carimbado uma vez. A tinta usada neste carimbo é vermelha e inconfundível. A entrada é permitida somente para os que possuem esse visto de entrada no “Reino do Eu Nunca Vou Morrer”.

Não haverá outra possibilidade qualquer de se obter as credenciais. Não haverá outra chance que não seja a de receber esse bendito visto sem que seja ainda nessa vida. Não haverá outra esperança. Não haverá segunda chamada sem que um custo muito maior não seja cobrado. Não haverá outra estrada. Não haverá outro caminho ou atalho.

Não haverá Calvário outra vez!


(João 19 : 34) (Lucas 23 : 33)

quarta-feira, 7 de maio de 2008

NUNCA DESISTA


Resultado de imagem para não desista                                               Jailson Freire



Não. Não era pra ser assim, mas a despeito de tantos esforços não conseguiu atingir o alvo. Ainda não dessa vez. E Isso tem sido motivo para deixá-lo frustrado, não é mesmo?

Sim eu sei... Você já tentou por diversas vezes, mas não conseguiu. Parece que todos os esforços foram inúteis. Tudo parece conspirar para que o seu amanhã seja frustrante e decepcionante.

O que pensa fazer não é a melhor opção. Acha mesmo melhor desistir e entregar-se a algo que está fadado ao fracasso e designado ao pó, em detrimento de algo tão mais sublime?

Não devia pensar em desistir, pois do outro lado dessa muralha há alguém tão sublime... Tão divino... Tão... Tão maravilhoso que o apóstolo até mesmo falou de um (1) enigma...

Um espelho só mostra parte, apenas imagem, mas o que vamos conhecer e muito mais do que só imagem.
A nossa existência é apenas um pequeno aprendizado. Já ouviu falar de alguém que aprende sem os erros?

O sol deverá nascer outra vez e com ele um novo dia, uma nova oportunidade de aprendizado...


Precisa avançar... Precisa abandonar no altar da sua existência, o peso que atrasa a sua viagem. Precisa contar pra Ele e depois esquecer o que passou... Precisa continuar a caminhada em busca da terra do sempre; do sempre será perdoado, do sempre terá uma nova oportunidade, do sempre será amado... Do sempre será amparado...

Não desista agora... Não considere o deslize... Não considere a falha... Não considere a voz que te acusa. Saiba que apesar de tudo, um novo amanhã virá, ou ainda acha que não?


(1)I Coríntios 13 : 12 - Isaías 53 : 5

quarta-feira, 9 de abril de 2008

O RETORNO DO DESERTO EXISTENCIAL


Resultado de imagem para fim do deserto                                                             Jailson Freire

Uma caminhada marcante para a vida de qualquer um que tenha estado lá.
São de fato, momentos de extrema solidão quando se está num lugar tão árido como esse.
As horas não passam... A agonia é constate. As lágrimas são as únicas companheiras... A espera é interminável, o sol é sempre mais molestador. Mas é também nessas horas que o nosso coração fica disponível para ser consolado e acalentado.

A partida para aquele lugar é sempre um momento de angústia, pois o que se espera de um lugar como esse?

É lá que somos desafiados a abrir mão de nós mesmos e entender de fato o significado real da palavra entrega.

É quando resta apenas confiar que o Pai pode nos trazer de volta a vida, ainda mais fortes do que quando partimos para o deserto existencial.

A experiência sempre será válida, pois pode ser que essa indesejável viagem ao deserto se repita, todavia não será mais a pior das novidades. Você conhecerá o caminho, os atalhos para uma existência sadia.

Na chegada de volta, a "lenda" deve ser lembrada. A fênix até parecerá ter existido. Você poderá ser como a Fênix que das cinzas ressurge para o vôo mais lindo que se tenha conhecimento.

Na volta, o anel será coloca em seu dedo. O banquete será preparado, afinal, não é todo dia que se pode celebrar a volta de alguém... E o pai, como sempre, no caminho te esperando para o abraço paterno amoroso de quem esperava o seu retorno do deserto existencial.

quarta-feira, 5 de março de 2008

A VIAGEM E O TEMPO


Resultado de imagem para viagem e o tempo                                                                               Jailson Freire

Imagina você embarcando em um trem rumo ao passado. Seria uma viagem interessante onde você poderia assistir da janela da sua existência os acontecimentos passados em sua vida.

Você teria o benefício de rever tudo o que aconteceu de bom durante a sua existência até o tempo presente.

Lembraria das brincadeiras da sua infância, seu primeiro dia na escola, sua professora... Lembra de como era a sua primeira professora? Lembraria dos dias que foram especiais, onde você aprontava aquelas molecagens de criança... Seus colegas... Ufa!

Aquela linda jovem que mexeu com seu coração e que hoje você chama de “minha esposa...”. Aquele rapaz que você ao ver, dava aquele suspiro e descobre que é ainda o mesmo suspiro que sente quando estão juntos... Puxa... Parece até que o tempo não passou.

O dia do casamento... Como pudemos nos esquecer disso... Olhe! Olhe na janela... É o nascimento dos seus filhos... Você está bastante emocionado hem!... Posso ver você de joelhos agradecendo ao Pai do céu por eles...

Quem é aquele ao seu lado enquanto você agradece pelos bons momentos? Parece com o mesmo que está ao seu lado enquanto você chora de tristeza pelos maus momentos...

Essa viagem só teria sentido se pudessem ser apagados os acontecimentos que você gostaria de não ter vivido e que aparecerão como manchas na paisagem, só por ter negligenciado as instruções do manual para uma existência feliz.

O preço do bilhete é muito caro e não compensaria reviver lembranças de coisas que te fizeram chorar de tristeza, dor, angústia e amargura. Das perdas e dos sofrimentos. Dos aborrecimentos e arrependimentos.

Lágrimas; Esse é o preço que teria que pagar para fazer essa viagem...

Todavia é possível sim, você fazer essa viagem sem que os acontecimentos que marcaram negativamente a sua existência fizessem parte da paisagem... O preço da passagem é infinitamente mais caro, mas já foi pago. Sabe quanto custou? S
angue de um inocente.
Bem vindo a bordo...

(II Coríntios 5 : 17)


quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

A SINFONIA


Resultado de imagem para clave de sol                                                   Jailson Freire

Imagine-se ouvindo uma orquestra sinfônica em pleno centro financeiro e comercial ou talvez em uma praça bem movimentada, onde os carros passam buzinando na rua e os vendedores ambulantes, a fim de vender o seu produto, grita ao público, anunciando a mais nova promoção.

Imagine-se ouvindo essa mesma orquestra sinfônica num momento em que um acontecimento no trânsito aciona uma sirene que ajuda a ambulância passar através do congestionamento para socorrer os feridos.

Imagine-se ouvindo a orquestra em pleno estádio, onde o seu time está no melhor momento do jogo. Onde a bola está preste a entrar no gol.

Tente imaginar-se ouvindo a orquestra executar a sinfonia, enquanto você amarga o desespero de uma perda, seja moral, emocional ou financeira.

Você acha mesmo possível isso? Acha mesmo que a melodia poderia ser ouvida e que o portal que dá acesso a sua alma poderia ser aberto em uma situação de agitação e desespero?

Acha que enquanto a peleja exterior estiver acontecendo você pode derramar uma lágrima reflexiva. Enxergar a solução que busca ver, se o silêncio não se fizer dentro de você?

O Herdeiro Real retirava-se ao jardim. Ele precisava ouvir a sinfonia que o Pai tocava para Ele... Nem mesmo na ultima hora ele deixou de buscar ouvir a melodia, ainda que a canção estivesse emudecida no momento derradeiro. Ainda que a explosão de angústia estivesse para acontecer...

Ouvir uma sinfonia é algo tão sublime... Chega a ser sobre-natural os momentos de mergulho em água fresca das linhas melódicas de um concerto. Uma dádiva. Um jardim de encontro com o jardineiro. Um retorno ao antes do início... Um retorno ao colo do pai.

Retire-se ao jardim... Retire-se para dentro de si e ouça a sinfonia que o Maestro rege!


Mateus 26 : 36

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

ENQUANTO O SOL NASCER

  Resultado de imagem para sol nascendo        por Jailson Freire

Não é simples entender o porque que Ele optou por nos fazer nascer de novo todo dia... ada manhã recebemos em nossas mãos uma nova oportunidade. Uma nova esperança. Um novo nascimento.

Um olhar misericordioso nos proporciona a dádiva bendita de nos sentirmos limpos e prontos para enfrentarmos o dia que se inicia e a peregrinação cotidiana.

É claro que no decorrer do dia e da caminhada, muitos carrapichos grudarão em nossas vestes e que voltaremos com os dentes esverdeados das ervas daninhas que colocaremos em nossas bocas como se fossem ervas adocicadas, mas que ao final, um terrível gosto amargo se acentuará.

Como um pastor, nos colocará em seu colo e com paciência e amor, removerá cada um dos carrapichos e limpará a nossa boca com preço muito alto. Preço conseguido através de cruz, de suor, lágrimas, vergonha e sangue.

Como pagar tamanha dívida? Como retribuir um ato tão definitivo e eficaz para a existência tão curta de todos nós? Acaso haverá outra forma de se rasgar o escrito de morte? De se anular a acusação? De evitar a humilhação?



É uma decisão do eterno que todos nós tenhamos a oportunidade de começar de novo, de nascer de novo a cada manhã. Pelo menos, enquanto as flores existirem e o sol nascer.

II Coríntios 4 : 16

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

NO QUE EU ANDEI PENSANDO ENQUANDO O PASTOR PREGAVA



Resultado de imagem para pensamento                             Por Jailson Freire
 Crer é a capacidade de esperar sem perder a esperança no que não se pode mais esperar.
*
Em Deus, eu acredito em minha vitória, ainda que ela esteja em estado de coma.

*
O censo de humor do meu Deus é de deixar qualquer cético de queixo caído.

Sou surdo para com os que tentam me desencorajar. Mudo para com os que tentam me provocar.
*
É quando a nuvem negra aparece que vou voar mais alto para ver o sol mais de perto.
*
O dia mau é sim, um ótimo dia para nos preparar para o dia bom.
*
Um dia, eu sei, vou ser ouvido por Deus mesmo que seja na eternidade.
*
A impressão que temos por vezes é que esse nosso Deus é surdo. Não me importo, com tanto que Ele continue sendo o meu Deus.
*
O teu cuidado, Senhor, acalenta a minha alma.
*
Não há como viver longe de um Deus que nunca se afasta de mim.
*
A minha confiança está em um Deus que para demonstrar o seu amor, é capaz de me deixar só por um tempo a fim de que eu possa crescer.
*
Talvez Deus só queira nos falar algo quando a nossa alma se aquieta.
*
O Deus que eu creio ser Deus é o mesmo que acredita em quem eu sou.
*
As necessidades que minha alma tem, são infinitamente maiores do que as necessidades que eu tenho.
*
Tudo passa, até mesmo a vontade que eu tenho que tudo passe.

Hebreus 13 : 7