terça-feira, 29 de dezembro de 2009

ATÉ QUANDO?


Jailson Freire

No tempo da angústia somos levados a perder a imaginação e deixar de cantar a canção que outrora era bela e que alegrava o coração.
No tempo do medo, a nossa vida parece um trem desgovernado descendo ladeira a baixo na iminente espera do desastre.

No tempo do desespero, o que vemos ao olhar no espelho? Não seria um monturo de emoções estraçalhadas e uma imagem turva do quase nada e sem valor de nós mesmos?

No tempo da tristeza não enxergamos ninguém que possa nos estender as mãos em socorro urgente que pudesse nos livrar da angústia que faz do nosso coração o que faria um solvente.

No tempo do choro, quem poderia trazer uma esperança para um coração em desgraça?

O que esperar no tempo da desgraça? De quem esperar o socorro no tempo do medo? De quem esperar ser livre da corda que não para de apertar o pescoço?

É nesse tempo que fazemos a pergunta crucial: Até quando?

Isso já aconteceu antes:

Uma solução que nunca vinha. Uma alma cansada; em agonia, Um Deus que parecia tê-lo esquecido. Um alívio esperado como um dia de sol depois de uma noite de tormenta e tempestade.

Um Rei. Uma angústia. Um esperar impaciente. Um grito que da alma brotava como um último suspiro na agonia de um clamor derradeiro... Que desespero!

Uma certeza de que apesar da demora, o socorro viria. Uma atitude de fé que jamais renega o Deus que sabe tudo em sua vida. Um Deus que se importa com a dor de quem o ama. Uma declaração antecipada de um alívio certo que é esperado de quem espera numa cama.

Um olhar para um monte e uma pergunta intrigante: “De onde poderia vir o socorro que parece tão distante?”.

Socorro assim, só poderia vir do criador dos céus e da terra; que privilégio!

"ATÉ quando te esquecerás de mim, SENHOR? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto?" (Salmos 13 : 1)
"LEVANTAREI os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro." (Salmos 121 : 1)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O MELHOR DA HISTÓRIA (parte 3) Como duvidar?


Jailson Freire

Enquanto olhávamos uns para os outros assustados e atônitos, completamente paralisados por ver que o Mestre em nossa frente estava, ouvíamos atentos o que ele nos falava. Ele nos falava a respeito do que estava escrito no edito do soberano bendito. A todos nós repreendia por ver que em nossos corações a dúvida ainda residia.

Estávamos como quem sonha diante do nosso Mestre. Era o nosso Senhor que de nós em amor se aproximou.

Enquanto comia o peixe e o mel que a Ele servimos coisas lindas nos dizia a respeito do céu e do seu Reino que era vindo. Ao ver-nos empalidecidos pelo medo, nos lembrava do segredo que em suas estórias revelava enquanto pra Ele todos nós olhávamos ainda com medo.

Lembrou-nos dos fatos anunciados em tão longínquo passado. E que seu sofrimento e morte haviam sido muito bem planejados, pois esse era o único jeito de Deus perdoar pecados.

Deixou para nós que ali estávamos uma longa e árdua estrada para caminharmos. Disse-nos que a partir de então, essa impressionante história teria que ser contada. Que aquele que cresse nessa história jamais seria desamparado. Levou-nos para uma cidade vizinha onde então, seríamos como uma nova família.

Depois de estender para nós as suas mãos dispensou sobre nós a sua bênção. Com alegria imensurável no coração cantávamos todos nós uma mesma canção.

Depois de tudo que o ouvimos falar, com duvidar?

Lucas 24: 40 a 53

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O MELHOR DA HISTÓRIA (pate 2) – O SONHO NÃO ACABOU!


Jailson Freire

A boa notícia precisava ser contada aos que impactados talvez não acreditassem. Era algo tão impressionantemente verdadeiro que seria como um soco bem forte na face do desespero.

-É fato; vimos o que havia sofrido. Vimos o que havia morrido! Vimos o mestre! Sentamos à mesa juntos comemos até a sobremesa.

- isso não pode ser verdade! Vimos o corpo que não se mexia e o sangue ainda fresco que em seu rosto escorria. Seria bom de mais para ser verdade, mas o mestre morreu; agora é tarde! O Mestre vivo entre nós outra vez?... O sol deve ter confundido vocês...

-Não foi miragem do deserto. O mestre até nos tocou; ele estava bem perto!

- Se é verdade os fatos narrados agora, queremos vê-lo sem demora. Isso é uma ótima notícia. Isso é de fato uma boa nova!

- Não precisamos mais sair ao seu encontro; vejam o mestre pela porta entrando!

Que alegria aquele fato nos trouxe ao coração... Agora podemos ver com nossos olhos a verdade contada pelo mestre sobre a ressurreição. Não há mais como negar; ao fim dessa vida, outra vida nós vamos ganhar.

Essa é a melhor parte da existência humana... Isso é mesmo o melhor da história... É o que pode dá sentido a existência que sonhamos e que certamente, aqui jamais alcançamos. Não é tão difícil entender essa realidade que o mestre nunca cansava de nos contar:

Ao fechar nossos olhos por aqui, é porque já estaremos por lá...

O Sonho não acabou!

"E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?" (Lucas 24 : 41)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O DIA EM QUE O TEMPO PAROU DE CONTAR


Jailson Freire


Muito choro naquele momento que era inimaginável a apenas algumas poucas horas passadas... Quem diria que não mais haveria aquela alegria. Quem imaginaria uma mudança tão radical na agenda do Fulano de Tal? Quem poderia prever que a festa planejada estava agora babada? Quem poderia imaginar que haveria tamanha mudança na história que seria contada?

De fato os planos eram outros: Neles estavam incluídas muitas festas e celebrações. Muita bebida e muita canção. Tudo estava perfeitamente combinado desde então.

Tudo seria dança e folguedo... Suco, refrigerante, salgado e sorvete... Músicas, sorrisos e muitas conversas fiadas com gente bonita.

A história que seria contada era a mesma que fora planejada. A alegria que todos queriam, agora terá que ser adiada. Depois de tudo ocorrido, ainda terá a ressaca... Sem contar a nova estrada que será trilhada.

O aperto no peito, já conhecido de outrora, não teria ido embora? Voltou bem mais forte agora...

O triste fim de uma existência não pode ser medido pelo fim de seu próprio tempo, pois não é o fim, muito menos triste para quem vai morar de vez com o Pai e seu Cristo. Apenas mudança de planos para que uma nova história seja contada, agora na eternidade, na linda morada!

Não existem palavras para descrever o que será de mim e de você que acredita na terra do “Eu Nunca Vou Morrer” prometida pelo Filho enviado para nos mostrar que morrer é o mesmo que viver. Que o tempo pode até para de contar, mas quando isso acontecer, é porque com o Deus da existência vamos morar.

Para quem fica, a saudade se fará de amiga... Uma nova realidade precisa ser encarada; será necessário acordar para a nova realidade e seguir na estrada. Será preciso superar e seguir viagem. Esperar até que seja ouvido o derradeiro chamado para a partida em direção a indescritível cidade.

"Para uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós," (I Pedro 1 : 4)

"Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem." (I Coríntios 15 : 20)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A ESPERANÇA ÀS VEZES É ASSIM


Jailson Freire

E agora? O que fazemos? Foi nesse negócio que havia colocado a pouca esperança que ainda tinha. Foi nisso que havia colocado a sua fé. Acreditou como se já houvesse acontecido, mas o que aconteceu? Havia planejado tudo certinho... Não havia como dá errado! Mas deu.

Era a última ficha que tinha para apostar. Você tinha toda a esperança empenhada nesse caso, que no fundo já sabia estar perdida, mas... Ela ainda estava lá... Ela ainda incomodava como se fosse uma viva, mas que não passava de um zumbi; a esperança às vezes é assim...

Você estava certo de que a entrevista fora a melhor que já houvera dado... Não seria possível perder a vaga para qualquer que fosse o otário. Seria o mesmo que perder a capacidade de sonhar estando acordado. Todavia no dia seguinte, não era você quem batia aquele tão desejado cartão de ponto às sete e vinte.

Sonhou por tanto tempo com a relação que até ontem era perfeita, mas amanhã terá que se acostumar outra vez com a idéia de que nunca existiu perfeição enquanto pisarmos neste chão... Tudo não passou de mais uma febre de ilusão.

Está lá... Está escrito... “Somos mais que...”. “Tudo posso n’aquele que...”. Isso agora parece muito contraditório, tendo em vista que você terá que adiar outra vez os seus planos de nunca mais voltar ao consultório... Isso malogra por completo qualquer coração...

Não há como não sentir dor diante de tanta esperança frustrada. O tempo nos trás os mais sinistros eventos. Não há como conter o choro depois de ter que receber esse gigante que chega trazendo na mala todo tipo de veneno para liquidar de vez com nossas emoções e esperança.

Todavia é certo que jamais estaremos sozinhos nos momentos em que nosso sonho terá que ser adiado outra vez. É imperativo que o rei da esperança ira restaurar o sonho em sua plenitude durante o percorrer da nossa caminhada. Esteja convicto que a esperança foi apenas adiada. Mas se temos a palavra de fé, então a esperança nunca morrerá!



"A esperança adiada desfalece o coração, mas o desejo atendido é árvore de vida." (Provérbios 13 : 12)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

DEUS ESPERAVA MAIS

Jailson Freire

Tudo era pra ser perfeito, mas ao invés disso vejam o que eu vejo:

Mais tivesse para que pudesse ser destruído... Mais tivesse para que não fosse proibido... Mais tivesse para jamais ser reprimido. O que aconteceu amigo?

Natureza; que beleza! Ao menos era... Verdes matas... Por que mata? Virou uma fera? Oh! Que luxo esse entulho... Quanto bagulho!

Quanta alegria injusta; qualquer um de nós teve que pagar o pato, ou o prato. Quanto prazer intenso! Alguém acabou virando detento. Quanto lucro obtido... Alguém olhou para o próprio umbigo... Qualquer, hoje talvez, ficou sem ter comido como vocês...

Vejam que mar exuberante... Que óleo é esse que torna uma nação tão infame.

São lindos esses bebês... O que fizeram com você depois de um pouco mais crescer?

Não importa o que fazem, adolescentes são assim mesmo. Eles precisam descobrir que no mundo não há mais qualquer regra a seguir. Não existem limites para quem apenas está descobrindo de que lado fica a égua – Ou o ego, ainda que a escolha possa determinar o fim da linha para uma linda família.

Drogas apenas liberta a alma de uma consciência imaculada para a prática de mais uma aventura ignóbil de um infeliz incauto que do mundo não espera mais nada.

O que aconteceu com a gente? No que nos transformamos Zé contente? Por que deixamos de ser humano e ainda mostramos os dentes?

Deus esperava mais de nós. Deus esperava mais sabedoria. Deus esperava menos fantasia. Deus esperava menos raiva. Deus esperava entrar em toda casa.

Deus esperava mais gentileza. Deus esperava menos safadeza. Deus esperava mais honestidade. Deus esperava e sempre espera a verdade.

Deus esperava menos rancor; não foi para isso que Ele nos planejou. Deus esperava menos descontrole. Deus esperava mais amor. Deus esperava mais domínio próprio; a maldade nunca terá um bom propósito!

Deus esperava mais compreensão. Deus esperava a nossa união.

Deus esperava que vivêssemos em paz. DEUS ESPERAVA MAIS!

Deus ainda espera mais de mim. Deus ainda espera mais de você. Disso você precisa saber.

"Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão." (I Timóteo 6 : 11)

sábado, 17 de outubro de 2009

ENCONTRANDO O “X” DA QUESTÃO




Muitas vezes, o que causa um problema pode estar camuflado em algum canto da nossa história e por isso, em muitos casos, pode não ser encontrado tão facilmente. 
 Jailson Freire


Neste caso, o diagnóstico para uma questão antiga pode ser muito difícil, todavia não impossível.
Passamos muito tempo tentando entender tal questão e sempre que achamos estar perto da solução que poderia livrar a alma dos equívocos em que nos metemos, mais nos distanciamos do oásis existencial proposto pelo criador do existir. 

 O caso é tão sério que até que a chave seja encontrada para que a porta de saída
seja aberta e a partir daí uma nova e promissora vida abundante prometida a muito tempo, seja finalmente vivida, a angústia pode ocupar um lugar que jamais tenha sido dela. 

Muitos tropeços nas esquinas da vida são inevitáveis até que o âmago do problema seja atingido em cheio pelas palavras chave que são realmente capazes de sacudir o coração empedernido pela vida morta que envolve o corpo já inerte diante de tanta lama em que voluntariamente foi se afundando. 

Não. Jamais se acostumará com o cheiro desagradável de tal porcaria possuidora de um sabor tão agradável quanto nojento. Jamais deverá acomodar-se, ainda que, quanto mais tenha tentado sair desse charco mais pareça estar aprofundando-se em asquerosa experiência.  

A chave para a solução precisa ser encontrada. A procura deve ser incansável... O desejo de ver o sol precisa ser tão grande quanto qualquer sentinela sente durante uma noite fria e chuvosa.  

Não! Não descanse até que o “X” da questão seja encontrado. Não fique paralisado diante da próxima oportunidade de se libertar, ainda que o processo de limpeza exale inevitável mau cheiro. Foque no objetivo principal que é o de ficar limpo dessa lama incrustada na alma.  

O intrigante, é o fato de que não se deu conta de que por inúmeras vezes a chave para a resolução da questão pudesse estar bem ali, ao alcance dos olhos, mas jamais havia conseguido enxergar as palavras que daria sentido e direção para a súplica necessária e urgente. 

Como pode não ver isso antes? Eis a resposta! Eis o “X” da questão. Eis a chave perdida a tempo e no tempo! Eis a suplica necessária! Eis o pedido que não falha!

"Torna a dar-me a alegria da tua salvação..." Salmo 51:12 A

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

EXISTIR OU DESISTIR?



Jailson Freire

Fato é que só desiste quem existe pra desistir, mas isso, você há de convir...

O problema é que para chegar ao pondo de desistir, o sentimento de inexistência que invade o coração de alguém é algo tão imenso que podemos até comparar com um enorme buraco negro que suga para si tudo o que pode dá sentido a uma vida.

Buscar a verdade é buscar ser livre dessa mentirosa opção de morte, todavia, na busca da verdade, muitos acabaram por bater de frente com a mentira que os aprofundaram ainda mais numa realidade equivocada demais para ser vivida em paz.

Que a verdade liberta não é mais novidade. Por que então, preferimos viver nessa cadeia de solidão existencial que nos amarram a uma vida tão aquém do plano perfeito que nos fora oferecido? Se a verdade nos leva a um porto seguro, por que viver com o coração tão duro e pesado, se o mesmo nos leva para o fundo do ralo? Por que preferir estar em meio às tempestades de equívocos constantes se a tábua de salvação sempre esteve ao nosso alcance?
Por que não desistir dessa idéia de desistir de si mesmo e olhar fixamente para o que vem depois do "fim"? O autor da existência nunca desiste de nós, pois não comunga com a morte que aparentemente quer calar a nossa voz.

Como pode alguém vencedor do grande prêmio do existir querer por tão pouco desistir do sabor de estar vivo para acordar e dormir? Não pode desistir de dormir para sonhar... Não pode a sua voz calar; precisa continuar a cantar, ainda que aparentemente só você pareça estar... Precisa continuar dançando, pois a música da existência continua tocando.

Seja grato por estar aqui. Esteja contente por saber que é possível seguir. A caverna é lugar de morte; Saia daí!

Bom... Agora vou dormir... Obrigado Senhor por mais um dia do meu existir. Amém!

"Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos." (Lucas 20 : 38)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O MELHOR DA HISTÓRIA


Jailson Freire


Foram sim, dias maravilhosos aqueles...
Lembrar que tudo era tão perfeito e que, dificilmente as coisas mudariam como mudaram, seria mesmo impossível acreditar em tamanha frustração se não tivéssemos vivido dias como aqueles.

Lidar com o desânimo que resolveu se instalar em tão frágil existência era agora uma questão de sobrevivência...

Ver as coisas acontecendo tão incrivelmente foi algo do qual não se ouvia falar fazia tempo.

Ser visto por alguém que jamais pudesse nos ver, era algo espetacular demais para ser contado de qualquer jeito... Todavia, mesmo que esses fatos fossem questionados, não haveria como mudá-los. Fatos são fatos e pronto.

Estar caminhando ao lado de quem não tinha pernas suficientemente firmes para uma caminhada, chegava a ser insólito demais para as nossas vidas.

Sem contar as histórias intrigantes que faziam com que todos aos seus pés quisessem adormecer como meros infantes... Talvez para sonhar com o reino "encantado" que sempre nos instigou a viver. Os detalhes eram tantos a ponto de fazer seus ouvintes não pensar na realidade que talvez os afligiriam no dia seguinte.

A promessa de paz e a dimensão do perdão oferecido eram boas demais para serem esquecidos, ainda mais se para obtê-los não houvesse necessidade de nada fazê-lo além de acreditar no que Ele acabava de falar.

O problema é que o sonho acabou no melhor da história... Não há mais no que acreditar, só restou-nos ir embora...

Depois de sua partida, a coisa por aqui não estava mais legal e a vida talvez não tivesse a nos oferecer nada além de uma dose diária do que chamamos de mal.
Contudo, no caminho de volta à realidade, eu e meu companheiro de idade... Vimos que alguém se aproximava de nós com rosto coberto de amor e bondade.

Não. Não conhecemos o sujeito de cara, apenas prestamos atenção em sua fala.

Ele parecia mesmo muito desinformado, pois indicava não fazer idéia do que acontecera pr'aqueles lados. O que Ele nos dizia provocava algo de muito estranho em nossos corações que ardiam.

Contamos a ele os fatos ocorridos que tanto fizeram valer à pena ter vivido, e ele nos fez lembrar que o que aconteceu os antigos já previam.

Depois de muita conversa chegamos à cidade pretendida onde de novo nossas vidas, eu e meu amigo, reconstruiríamos. Mas como Ele viagem seguiria, convidamos para uma breve estadia.

Numa noite agradável então, resolvemos sentar à mesa para comermos o pão. Nosso convidado levantou o alimento e agradeceu por tão maravilhoso evento.

Só então entendemos o porque nossos corações ardiam ao ouvir o que aquele homem nos dizia. Ele nos falara a respeito de um fato ocorrido numa cruz. Foi só então, que enxergarmos que o homem que conosco falava não era ninguém menos que o próprio Jesus.

No mesmo momento nos sentimos muito bem e sem titubear resolvemos voltar para Jerusalém.

E você? Pra onde pretende ir?


Lucas 24: 13 a 31

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

EU, EGO DE MIM...


Jailson Freire

Tudo começa comigo e termina em mim. Eu, eu, eu e mais eu... Eu sou, eu faço e aconteço. Eu sinto, eu acho. Eu quero, eu gosto.

Eu sou o melhor. Eu sou o mais certo. Eu sempre tenho razão. Eu digo e não nego, mesmo comendo chão.

Eu tenho, eu compro, eu conquisto... Mesmo que eu não saiba o que fazer com tudo isso.

Eu recebo, obtenho e não ofereço. Eu sou assim, quem quiser que venha a mim... Eu fiz, eu quis e me satisfiz. Eu falo, eu não me calo, eu sempre tenho razão, eu já disse, eu repito!

Eu sou o mais forte, eu tenho o poder; posso até comprar você. Eu nunca erro, eu sou perfeito. Eu jamais vacilo, nem sei o que é isso...

Eu quero, então compro... Eu quero, então possuo... O que importa sou eu... O que importa é que eu tenha. Mesmo que aos montes engane. Mesmo que seja em nome do inocente que morreu... O que morreu por mim, você e eu. Viu? Sempre eu...

Eu sei que o mundo foi feito para mim, por isso eu sou assim...

O problema é que quando tenho que guardar não fica comigo e se eu preciso vender, não ficará em meu poder. Pior é que isso serve para mim e para você.

Eu possuo, e se não possuo ainda, é porque eu não quis, e se eu quiser, então terei e se tenho não darei, pois se eu der não terei e se não terei é porque ainda não se fez.

Ah o ego! Esse é o ego que precisa morrer por asfixia. Esse é o ego que talvez você até tivesse e não via que tinha. Esse que não divide nem se converte. Esse que ainda assim nos diverte!

Esse que não se vê a hora que chegue o fim de sua história em nossa vida. Esse que nos torna egoístas... Esse que às vezes vem para ficar, não como turista. Esse que nos envergonha. Esse que nos enfadonha.

Quando o ego morrer todo ano precisa contar aniversário, pois a morte desse imbecil sempre foi um enorme entrave. Precisamos comemorar como um gol que não bateu na trave.
Adversário de tudo o que foi planejado pelo Deus que sonha em ver o mundo alcançado por sua graciosa graça. Que ama a paz e a alegria, além de resgatar os filhos de uma terrível fadiga.

Morte ao ego!


"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;" (Apocalipse 3 : 17)

“Porque haverá homens amantes de si mesmos...” II Timóteo 3:2

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

O TEMPO ÀS VEZES NOS CANSA


Jailson Freire

O tempo às vezes é um preguiçoso e intransigente com os que dependem dele para o começo de uma nova fase de alegria e gozo. Ele, o tempo, vez por outra nos coloca de castigo por algo que nem sempre fizemos por merecer.

O tempo, raras às vezes, é nosso amigo, ainda que alguns dizem ser o senhor da razão (ou não).
Na maioria das vezes se faz como os que desejam nos ver arruinados e sem esperança. O tempo às vezes nos cansa.

O tempo às vezes é meio infantil; só quer brincar de “espera – espera”, sem nem mesmo nos perguntar se queremos este tipo de brincadeira imbecil.

O tempo às vezes goza da nossa cara quando se disfarça e de nós escapa. O tempo é um brincalhão idiota.

O tempo nos induz a beijar a pressa sem que com ela queiramos ir à festa - Nem sempre a festa presta . Ou às vezes quer transformar nosso cérebro em mingau; o tempo é muito mal...

O tempo às vezes anda muito devagar e sem pressa. O tempo não está nem aí se por causa dele ganhamos ou perdemos por esperar. Ele não liga se a gente sonha ou dorme para a dor passar.

O tempo gosta de ver a gente angustiado por causa da noite que não quer clarear. O tempo rir de nós enquanto nos ver chorar pela dor que não cala a sua voz.

O tempo não está nem aí se por sua causa vamos perder ou ganhar.

Por tudo isso, devemos o tempo trapacear... Das suas artimanhas nos esquivar... Fazer com que “ele” vá se daná...
Devemos sempre dizer para ele em quem vamos confiar... Deixar bem claro pra ele que vamos continuar a sonhar, e que o seu joguinho, vamos rejeitar.

Mostrar para o tempo que mesmo que nos faça esperar estaremos contentes, pois sabemos que quem cuida de nós jamais nos deixa sozinhos na vida esperando que o tempo nos cure a ferida.

Falar para o tempo que o socorro esperado não depende dele e do feriado. Não dependemos do tempo para estar contente, pois o Deus da existência nos disse um dia que seu socorro sempre viria e nunca demoraria, pois seria sempre presente!


"DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia." (Salmos 46 : 1)

“ESPEREI com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.”
Sal 40:1

"Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?" (Lucas 12 : 26)

sábado, 5 de setembro de 2009

HÁ UMA ESPERANÇA...


Jailson Freire

Por tudo que venhamos passar aqui, estejamos certos: Há esperança!

Há esperança em que as coisas prossigam sempre ao melhor termo. Que a vida, apesar de muito breve, é a única forma de se nascer para a eternidade.

Há esperança de que apesar da dor, cedo ou tarde o alívio virá. De que o sonho que é sonhado por anos a fio se realizará. Que a tristeza apesar de parecer interminável, está prestes a terminar. Há esperança de que mesmo em meio à guerra, a paz prometida acontecerá. Há esperança!

Há esperança de que a noite mesmo sendo longa e fria, terá que ceder lugar para que o sol reine outra vez até seu próximo descanso de um dia.

Há esperança que, mesmo que o machado já tenha sido posto ao tronco, novos ramos brotarão para mais um show existencial.

Há esperança de alegria para o que vivencia um caso que parecia ter chegado ao fim da linha, mas que pela fé ganha um novo fôlego de vida. Há esperança de que aquele que um dia subiu aos céus um dia vai voltar para buscar os seus!

Há esperança quando por amor nos damos todo dia a fim de que outros experimentem o que é vida com alegria.

Sim eu sei que há esperança para o que vacilou, assim disse o Senhor. Disse por que nos amou. Disse para que vivamos em paz e ainda para nos mostrar como se faz... Como se faz com o que certamente vacilará como nós ou quem sabe, ainda mais...

Não sei como pode ser assim. Não entendo tamanho mistério, mas em fim... Sei que sempre haverá esperança para você e para mim.

"Ó minha alma, espera somente em Deus, porque dele vem a minha esperança." (Salmos 62 : 5)

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

NUNCA MAIS VOU...


J.Freire


Somos assim mesmo ou isso também muda um dia? Ou deveria ter mudado quando nascemos pela segunda vez nesta vida?

O pacto é pra valer agora ou logo vai voltar a se desculpar como quem põe culpa em tudo menos em você?

O filme trach que protagoniza será reprisado por quantas vezes até que seja mudada a película para a próxima sessão romântica?

Vai continuar passando pela trilha em que está cansado de ficar preso no laço maldito do caçador de passarinhos ou vai mudar para o caminho seguro e reto em busca do ninho?

Até quando vai tocar a mesma música fúnebre de alguém que apenas morre e nunca nasce de novo?

Quantas vezes serão necessárias pedir clemência pela infâmia cometida nos cantos escuros da sua vida? Quantas promessas serão quebradas como se nunca as tivesse feito a ninguém? Quanta garantia podre oferecerá como lastro para uma vida equivocada e de amargar?

Por quanto tempo você pretende achar que engana alguém com afirmativas do tipo “nuca mais?” Nuca mais farei isso... Nunca mais farei aquilo... Nunca mais cairei aqui nem acolá...

Por quê promete o que sabe que não pode cumprir? Por quê penhora uma palavra que sabe não possuir? Por quê vota quando no fundo apenas queria a sua cota de atenção divina para em paz dormir?

Apenas confesse que não é capaz, mas que aceita a paz que se oferece sem paga. Renegue a desgraça... Como pagaria algo que nunca terá preço?

Precisa entender o significado da graça antes que o silêncio se faça no âmago da alma. Precisa urgentemente saber o que significa pacto e favor que não se merece quando se faz uma prece na hora do pavor.

Precisa saber que enquanto vida existir para viver e que enquanto humilde você, aproximar o seu ser, não vai entender, mas vai perceber que o Deus que é pai sabe que ainda que digas “nunca mais”; mesmo sabendo não ser capaz da promessa cumprir, Ele o verá como filho, pois aceitou o desafio de até mesmo morrer por quem só merecia o castigo.

Se vacilar, o endereço vou te contar: João 1:9 - prossiga em paz.


Apenas vá e não vacile mais...


"E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais." (João 8 : 11)

"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." (I João 1 : 9)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O ALÍVIO


Jailson Freire


Uma palavra tão pequena e tão colossal em seu significado. O que não faríamos para tê-la ao nosso lado nos piores momentos de nossa existência?

Uma palavra dengosa e caprichosa. Uma palavra eficaz. Uma vontade que faz, um anseio estridente que o alívio seja urgente.


Uma espera, um desejo... Um desejo que venha sem demora. É até maldade a sua ausência, é uma espera amarga essa experiência. Não é possível existir sem a sua visita vez por outra. Não é lógico existir sem que esta palavra esteja em nosso boca.

Muitos de nós buscamos desesperadamente. Muitos de nós acreditamos que iremos encontrar em lugares onde jamais estará, tamanho o desespero que não quer se calar.

O choro. O sofrimento. A angústia. O lamento... A maldade.. A dor. A traição, o horror... Ah o alívio! Como necessitamos do alívio para viver...


A vida precisa continuar, mas o socorro precisa chegar. A dor é muito forte e precisa acabar... O sofrimento é medonho, talvez não dê para suportar. Você precisa do alívio... Nós precisamos do alívio.


Sim. O alívio virá e esperar é questão de sobreviver. Esperar é obedecer. Esperar é saber que pode até demorar um pouco, mas virá. Pode até se atrasar por um pouco de tempo, pois a vinda é longa e a estrada cheia de emboscadas e ventos.

Tenha paciência e espere, é certo que vem. Não negue essa verdade, pois ninguém perde por esperar. Ele prometeu e cumprirá. Ele falou e não falhará... Ele não é como nós, se disse fará... Cedo ou tarde o alívio virá.

O alívio sempre vem, pois precisa obedecer a ordem de "alguém". O alívio não tem escolha, pois o pedido fora selado com lágrimas que não são de cebola. O alívio é a certeza de que nunca estamos sozinhos. O alívio é a grata certeza de que temos um amigo.


Jesus!

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei." (Mateus 11 : 28)

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

AS CONTRADIÇÕES DE UMA VIDA





Jailson Freire



Podia ser menos complicado, mas ao invés disso é algo terrivelmente embaçado. Desejamos ser o que não somos. Queremos contar a história que não vivemos. Desejamos falar do que não conhecemos. Somos levados a dizer do que não entendemos.

Ouvimos o tempo todo a respeito dos padrões a serem seguidos e até concordamos com o que entra por nossos ouvidos, mas ao contrário do que pensamos, provavelmente não praticaremos. Prestamos atenção e nos imaginamos encaixados nos padrões, muitas vezes utópicos que são pregados, todavia, não muito tempo depois, somos levados a um estado de inércia logo na hora em que devíamos fazer o bem.

Foram muitas as tentativas e inúmeras desistências, mas mesmo assim não nos cansamos de continuar tentando; foi nos dito que seria possível.

Caminhamos as duas milhas, pois isso seria um padrão divinamente sugerido para um humanamente fingido, mas depois disso nos sentimos cansados demais para virar o outro lado do rosto suado para mais uma sessão de humilhação – Quem sabe na próxima?

Queremos ser como os que não possuem, mesmo possuindo tudo. Queremos ser como quem doa mesmo não sendo como o que doa, apenas para dizer de nós o que no fundo nem todos somos.

Falamos de uma vida perfeita que não experimentamos. Lucubramos sobre uma estrada alinhada que não caminhamos. Sorrimos o sorriso engessado de quem chora magoado, pois ninguém tem nada com isso se a vida real, já é de quatro dias e ainda por cima cheira muito mal.

Cantamos a canção alegre que fala de dor e enchemos o coração com um ego já envenenado de orgulho e odor.

Não somos quem dizemos ser. Não falamos o que queremos falar. Não pecamos só por pecar. Na verdade, sonhamos em nunca magoar, mas magoamos aquele que só nos fez amar. Isso parece nos dá mais prazer do que o alegrar...

É certo, que mesmo assim será possível experimentar a certeza de que depois de tudo, salvos vamos estar, pois seria impossível imaginar, que o evento que divinamente dividiu a história levando um inocente a se entregar como se fosse culpado, não mais servir para um homem em crise, da dúvida tirar.

Isso tudo tem jeito!




"E Jesus, respondendo, disse-lhes: Não necessitam de médico os que estão sãos, mas, sim, os que estão enfermos;" (Lucas 5 : 31)

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

SOBREVIVENDO À COISA...


Jailson Freire

Querendo ou não ela sempre aparece e quando aparece nos deixa perplexos e sem ação diante de suas várias faces. Sim. È como um dragão com várias cabeças... Jamais virá com uma cabeça apenas e um rabo... Será um monstro difícil de ser vencido, mas perfeitamente vencível.

Medo. Pavor. Indignação. Isso não devia acontecer! Não agora. Quem sabe num momento melhor, mas “a coisa” jamais aparecerá num momento melhor, será quase sempre nos piores dos momentos de nossa existência. Será quando já estamos fragilizados. Será quando o terreno já estiver minado. Será depois que você estiver cansado.

A batalha, nesses momentos passa a ser fato estabelecido e o que nos resta é ficarmos parados, assistindo “a coisa” destruir todas as prateleiras onde guardamos os nossos sonhos... Ah os sonhos!... Ou lançar-se contra “a coisa” e lutar, bater e combater com fúria de um inconformado em levar apenas cacos para casa.

Não será fácil combater “a coisa...” Ninguém disse que seria... Mas valerá à pena resistir se você se equipou com os equipamentos adequados: Se a armadura for sim quando sim, e não quando não. Se o ponteiro da balança no meio certo for a sua couraça. Se os pés estiverem bem protegidos com as novidades que geram paz. Se seu escudo for confiança total que você sempre disse ter no que prometeu batalhar por nós.

Serão inevitáveis os arranhões. E daí? O que importa é que mesmo sabendo dos arranhões, no final quem leva a melhor é quem nunca luta sozinho. No final, leva sempre a melhor quem sabe o nome do seu General... Você sabe que quem levará a melhor é quem lutar bem preparado.

O que fazer então diante da “coisa”? Lute! Lute! Lute! Não desista jamais! Pois depois de tudo “a coisa vai fugir e você será o sobrevivente”.


"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo”.(Efésios 6 : 11)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

VOCÊ FEZ POR MERECER, MAS...




Jailson Freire

Temos tudo ao nosso dispor. Temos tudo para sermos felizes...
A tv nos mostra a cada momento que precisamos ter esse tudo e a qualquer custo. A idéia é que você seja muito feliz... Muito feliz mesmo! A intenção é que você, finalmente, tenha a felicidade que levou a vida inteira para conquistar.

Sim. Claro. Você fez por merecer... Você trabalhou, conquistou e agora tem o direito em ser muito feliz, a final era só o que faltava em sua coleção de bens, ou ainda falta alguma coisa?

Não. Não mais, pelo menos por enquanto...

Você olhou aquela vitrine por meses e desejou aquele objeto como nenhum outro. Você sonhou e decidiu buscar a realização daquele sonho brilhante. Você sonhou, suou, imaginou, e suspirou pelo objeto do seu desejo. Você curtiu muito imaginar ser possuidor de tamanha “jóia”... Claro que falo de qualquer tipo de jóia... Aliás, o que poderia ser a jóia desejada por você?

Finalmente chegou o dia da conquista! Ufa! O que poderia valer mais do que o seu sonho realizado? Você conquistou. Pronto! Não te falta mais nada. Certo?

Errado.

Você jamais saberá o que é ser feliz se sua busca for de metal, vidro, pedra, madeira ou plástico. Você não terá tempo para ficar feliz por possuir coisas. Você verá que em questão de muito pouco tempo, sua “felicidade” se transformará em vapor, quando muito, em um belo monturo.

Felicidade não é matéria, logo não será outra matéria o motivo do seu existir. Felicidade é mais... É muito mais que coisas. Felicidade é muito mais que sorriso. Felicidade é muito mais que alegria. Felicidade é muito mais que possuir. Felicidade é saber para onde vai quando as cortinas se fecharem. Felicidade é saber o caminho de volta pra casa. Felicidade é saber que o metal pode enferrujar, e do tecido a traça se aproveitar. Felicidade é saber ao final de tudo o por quê valeu à pena.

Felicidade é estar contente. Felicidade é contentamento!




"Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes." (I Timóteo 6 : 8)

sábado, 13 de junho de 2009

CEDO OU TARDE


Jailson Freire



Todo dia amanhece. Todo dia escurece... Isso é fato. Não há como negar. Faz parte da nossa vida ver o sol chegando e partindo para que a lua dê o seu esperado show.

Todos os dias a gente acorda para viver, como se sonhar, não fizesse parte da vida.

Todos os dias alimentamo-nos e trabalhamos para nos alimentar outra vez e outra vez e mais outra vez...

Tudo acontece sempre outra vez. Tudo é uma constante repetição. Tudo parece ficar enfadonho com o passar dos anos, até que viver parece algo muito chato.

A rotina cansa a nossa alma. Cansa a nossa vida e tira o brilho da nossa existência.

Somos levados pela rotina à sala do tédio. Até o mar às vezes cansa de chacoalhar e não raras às vezes, resolve ficar calmo e deprimido, ou revolto, como se quisesse rebelar-se contra a ordem suprema de estar limitado às areias.

Aqui é um tempo de espera e muitos renegam a esperança. Por isso resolvem que as sua vidas ocas e vazias não mais serão submetidas ao tempo do criador do existir; somos assim.

Eu sei... Às vezes é chato isso tudo, ainda mais para quem não tem a esperança no que estar para começar depois que tudo acabar. Depois que os pássaros não mais cantarem. Depois que o sol não mais brilhar... Depois que as flores não mais existirem.

Aqui é um aprendizado. Aqui é o tempo de aprender esperar pelo melhor. É o tempo de aprender esperar pelo que nunca acabará. É o tempo de esperar pelo eterno. É o tempo de esperar pelo que é realmente belo.

Um dia, a gente vai ter que ir... Um dia a ordem será dada. Um dia vamos ter que atender a chamada. Um dia atravessaremos a fronteira e isso é fato tão real quanto ver o por do sol por tantas vezes.

Cedo ou tarde a gente vai partir. Cedo ou tarde a gente vai dormir para acordar de vez. Cedo ou tarde a gente vai nascer na “terra do eu nunca vou morrer”. Cedo ou tarde vamos conhecer aquele que nos amou com tão intenso amor. Cedo ou tarde a gente vai se vê por lá.


****
"E VI um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe." (Apocalipse 21 : 1)


"E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido." (Apocalipse 21 : 2)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

ISSO VAI DOER UM BOCADO...


Jailson Freire


Questão de atitude. Questão de decisão. Questão de honra... É a hora da verdade! É a hora a ser enfrentada. É o momento crítico...

Talvez seja isso o que devia ter sido feito a mais tempo. A atitude a ser tomada exige agora uma decisão muito contundente e eficaz... Não... Ninguém disse que seria fácil. Ninguém falou que seria moleza, ao contrário... Mas e daí? Vai ficar inerte e deixar essa coisa ditar o seu destino?

O fato é que este parasita precisa ser extirpado a qualquer custo da sua alma, sob pena de fazê-lo em pedaços irrecuperáveis.

Na verdade ainda pode haver outros parasitas diferentes e menores que também precisam ser eliminados da sua existência, mas esse é questão de vida ou morte. Esse parasita está destruindo você. Essa coisa está agarrada a sua alma e não sairá a menos que você tome a decisão de arrancá-lo.

Esse parasita tem tirado a sua paz... Tem trazido tristeza ao seu coração... Esse parasita tem roubado a sua alegria de viver... Tem ditado em que você deve pensar durante o dia. Isso o tem levado às profundezas da amargura.

Isso não é parte de você... Isso nunca fez parte da sua vida! Isso não tem que ficar com você ou em você!

Isso não devia jamais ter se instalado em sua alma... Mas depois de instalado levou você a uma situação de risco eminente. Destruição da sua vida, da sua moral e do seu corpo.

Mas agora... Agora você precisa fazer a opção. Você precisa tomar a decisão. Isso vai doer um bocado, pois a coisa é como um câncer; criou raízes profundas e precisa ser estripado. Mas você precisa resistir... Precisa permanecer em pé durante o processo.

Você não estará sozinho enquanto o procedimento de extirpação deste mal se fizer... Você terá o “O Especialista” ao seu lado. Mas precisa resistir.

Livra-se disso. Livre-se desse parasita infernal. Livre-se desse pecado fatal. Livre-se desse mal e seja livre!

"Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres." (João 8 : 36)

sábado, 23 de maio de 2009

QUANDO SAIR DO CATIVEIRO...


Jailson Freire

É um lugar frio... Muito... Muito frio. Além de não cheirar bem... Um lugar do qual ninguém deseja estar por sua própria vontade.

O que não dá pra entender é que o engodo usado na atração para este lugar foi muito agradável, não foi?


Também... Com uma casca bonita que escondia o que dentro não se via... Uma casca viçosa e cheirosa... Brilhante e irresistível aos olhos.

Covardia usar coisas assim para conduzir alguém a um lugar como esse. Covardia fazer acreditar que era a coisa certa a ser feita. Sim... Parecia mesmo ser o melhor, mas agora, beber o cálice amargo da desesperança não era algo que estava nos planos. Parece tarde demais para uma contrição, a esperança parece estar no porão.

Daqui de dentro não se pode olhar para o horizonte. Não há como focar a luz, pois a grade do cativeiro faz sombra; parece noite.


No início, até acredita-se que pode se acostumar, mas o desespero parece nos lembra que não há o que esperar nesse lugar.

Como esperar vida num lugar em que a morte faz residência? Como esperar alegria onde só emana angústia e covardia...

Você quer sair daí, mas acredita ter sido abandonado. Você quer a liberdade, mas parece tolice acreditar que um dia possa tomar sol nas ruas da cidade... Você quer sorrir, mas com poderia se a alegria virou sua inimiga? Você quer acesa outra vez em seu coração o pavio que fumegava, mas como tornar real se a tristeza parece uma maldita debochada?

Aí você canta essa canção:

Quando sair do cativeiro, sei que vai estar por inteiro na casa do oleiro. Sei que um banho diferente vai tomar; em águas puras vai se banhar. Quando sair do cativeiro, vai poder trabalhar para que os outros possa avisar a respeito deste engodo que pode levar alguém como nós chorar...

Qual é o seu cativeiro?

"Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul." (Salmos 126 : 4)

"E dirás no teu coração: Quem me gerou estes? Pois eu estava desfilhada e solitária; entrara em cativeiro, e me retirara; quem, pois, me criou estes? Eis que eu fui deixada sozinha; e estes onde estavam?" (Isaías 49 : 21)


sexta-feira, 1 de maio de 2009

E SE A VIDA PARECER MUITO CHATA?


Jailson Freire

Não. Definitivamente não. Não pode ser apenas isso o que chamamos de viver. Tenho certeza. É infinitamente mais que só isso.

É mais que acordar cedo. É mais que ir ao banheiro. É mais que escovar os dentes... É mais. É muito mais que tomar um delicioso banho. A vida é muito mais que tomar café e gastar um tempão apenas para escolher a melhor combinação de roupa. A vida é mais que tomar uma condução e ir ao trabalho.

A vida não pode ser resumida numa semana repetitiva ou até mesmo isenta de rotinas. A vida, na configuração que conhecemos pode mesmo parecer muito chata. Para alguns, pode não hver muito sentido. Pode ser muito cansativa e enfadonha, pois não há nada que seja tão novo que possamos chamar de novidade.

Assim, os dias vão passando. Assim, seguimos buscando e assim nos acabando.

O tempo pode parecer um inimigo debochado; uma madrugada fria que ansiamos ver passar a fim de que um novo dia volte a nos enfadar.

Não. Não pode ser apenas isso a existência de cada um de nós... Não pode ser apenas uma palha. Não pode ser uma falha. Não deveria ser um equívoco. Não deve ser apenas dor e piada. Não deve ser só ardor e gargalhadas. Tem mais... Tem que ter mais!

Tem que ter mais que só acordar sorrir, dormir. Acordar, chorar dormir... Tem que ter esperança! Tem que ter a promessa. Precisamos de algo mais real. Precisa haver sentido no que é mal... Ansiamos pelo que realmente importa. Queremos a melhor resposta. Desejamos a melhor proposta.

A vida pode ser muito chata, todavia será uma linda sonata se cremos que há uma palavra empenhada. Não uma palavra qualquer, mas uma palavra que dependa de fé. Uma palavra que dá sentido ao existir. Uma palavra que aponta para o por vir. Uma palavra que defina a vida. A vida eterna: Ressurreição!



"Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos." Lucas 20:38

domingo, 26 de abril de 2009

QUANDO O VIDRO EMBAÇAR


Jailson Freire


O dia já não está lá essas coisas... São nuvens acinzentadas as que estão vindo ao nosso encontro... Já dá até pra ouvir o som dos trovões, que apesar de distante, mostram que a coisa vai ficar crítica em pouco tempo.

A gente sabe que em dias assim é muito difícil tomar a decisão certa, mas teimamos e resolvemos por nossa própria conta e risco que a viagem vai ser boa à beça.
Achamos que apesar da promessa de muita chuva, nada de tão preocupante pode acontecer. Estaremos protegidos em nossas cápsulas andantes do que vier a chover. Veremos tudo passar da janela, é assim que com fé se espera.

Entramos em nossos veículos, e confiantes, partimos em direção ao destino e seguimos adiante. Não muito tempo depois, o que não estava nos planos acontece; o vidro embaça e nossa viagem fica comprometida e impossível de ser realizada.

É claro que a gente nunca conta com isso... É claro que nos sentimos poderosos em nossas armaduras de aço, plástico, vidro e orgulho. A final, é disso que é feito o estilo de vida de tantos.

De certo que planejamos tudo certinho. Então pegamos o mapa e partimos.
Mas eis o erro...
O plano foi feito por nós.

Nenhum plano é cem por cento garantido quando planejado sozinho. Jamais foi! Sempre haverá uma falha. Sempre haverá algo que não entrará em nossos cálculos. Sempre haverá um equívoco medonho e inacreditavelmente invisível aos nossos olhos. Nossa incompetência para elaborar planos seguros para a nossa existência é patente.

Implorar por socorro é ao Senhor do existir é um proceder inteligente para quem sabe quem de fato guia a gente. Para quem entende que existir é um presente do Senhor de toda as coisas. É a melhor coisa a ser feita quando conhecemos ao que possuí a chave da vida e da morte.

Jamais será capaz de sair de uma tempestade sozinho... Jamais sairá com suas próprias forças. Lembre-se: Planejar algo que deu errado foi a única coisa capaz de fazer certo.

Por isso, quando o vidro embaçar você sabe a quem clamar.




"Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus." (Salmos 20 : 7)

quarta-feira, 1 de abril de 2009

TEM HORAS QUE DÁ VONTADE DE IR EMBORA


Jailson Freire

No princípio, tudo havia sido planejado pra ser “muito bom”, mas como a coisa se descambou para o outro lado, parece que nada mais terá jeito.

Uma moça, um pai, uma mãe e uma alegria que ainda se fazia presente junto com os presentes que talvez não tenham sido abertos... Não deu tempo.

Uma reunião santa de santos em homenagem ao Santíssimo e um fogo gostoso que ainda ardia por dentro.

Um futuro brilhante numa mão e vários pacotes de sonhos na outra... Em fim, como imaginar que tudo viraria vapor de um instante para o outro?

Um pedido simples e humilde, uma negativa bestial e um estampido fatal. Eis o mal...

A menina inocente está agora livre... Livre para passear nas ruas de ouro e olhar os muros límpidos de cristal. Livre dessa cidade “maravilhosa” e do mal. Livre do lugar que precisa tanto de todos nós que deveríamos ser sal.

A menina agora curte o privilégio de princesa dos céus... A menina vive a eterna alegria de usufruir de tudo que fora prometido na vida de cá para a vida de lá. Ela acreditou e levou.

A menina agora não precisa mais do espelho para ver o que via de olhos fechados que molhavam de alegria diante das mais belas e inimagináveis paisagens.

Ela não mais sentirá saudades, não mais chorará de dor ou angústia... Não mais pagará por ter vindo aqui. Não mais precisará vender nem comprar. Ela já tem tudo! Ela ganhou o prêmio.

Quanto a nós, sentiremos saudades... Quanto a nós, não nos conformaremos. Quanto a nós sempre denunciaremos... Quanto a nós sempre nos envergonharemos dessa pouca vergonha inspirada pelo mal que dos nossos corações parece querer fazer mingau...

Quanto a nós, esperaremos que Ele volte pra nos buscar... Ou então o momento que nos chamar...

Por tudo isso, tem horas que dá vontade de ir embora.


Apocalípse 21

sábado, 28 de março de 2009

UMA QUESTÃO DE ESCOLHA

Jailson Freire

Tudo vai indo muito bem, obrigado. Está tudo muito tranqüilo por aqui... Veja o mar... Parece uma piscina... Águas límpidas e calmas... Quem não gosta de flutuar em águas assim?

Olhe o céu... Não há tempestades à vista... Não há uma nuvem se quer... Um dia lindo para um vôo majestoso.

Olha o campo... É... Esse ano a colheita vai ser boa. Não aconteceu nenhum imprevisto por aqui... Isso também é muito bom... Não há pragas na plantação, não há perdas na safra.

Não... Não houve defeito algum... Tudo funciona perfeitamente bem...


Os exames? Há... Quanta alegria em saber que foi preocupação desnecessária... Nunca se esteve tão bem de saúde.

Como Deus é bom... Como Deus é maravilhoso! Tudo parece mesmo perfeito... Uma vida assim é o que dizemos ser a vida que pedimos a Deus...

E quando isso parece apenas um sonho em meio a um pesadelo? E Quando tudo toma o ruma em direção a um final patético. E quando as uvas parecem ressequidas? E quando o mel vira losna? E quando os exames apenas confirmam as suspeitas mais despóticas de um futuro mórbido?

São nesses momentos que o socorro urgente se faz necessário, mas que as dúvidas surgem. Momentos em que somos tendenciosos a sepultarmos a esperança e a fé... Momentos que até ela, a fé desaparece nos recônditos de nossa alma.

São nesses momentos que duas opções são colocadas ao nosso dispor: crer e viver, não crer e perecer. Sempre será assim: Uma questão de fé. Uma questão de escolha.




Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? João 11:40


terça-feira, 17 de março de 2009

A MORTE DE UM COPO DE CRISTAL


Jailson Freire

A areia é processada até que um dia é transformada em um belo copo de cristal tão transparente que faz a luz do ambiente tornar-se tão límpida que chega a ofuscar a visão de quem ousa admira-lo. Um objeto majestoso e atraente. Um objeto sofisticado e caro. Um objeto de valor.

Pagamos o preço e levamos para a nossa casa com o fim de usá-lo tão somente em ocasiões especiais.
Ao terminar o seu uso, nos empenhamos ao máximo para que nenhuma mancha grude em suas límpidas paredes transparentes. Depois do banho, ele, o copo de cristal, tão somente ele, pode desfrutar da flanela comprada especialmente para lustrá-lo.

Temos um carinho muito especial àquele objeto. Custou um preço alto.

Procuramos o melhor lugar da estante, o mais protegido para guardar o nosso querido copo de cristal, pois tão logo surja um momento especial, o retiramos do repouso para mais uma celebração inesquecível.

Não é um copo qualquer. Não é um mero objeto. Não se trata de um copo que compramos na liquidação... É um maravilhoso copo de cristal e como tal deve ser tratado diante dos outros súditos objetos.

Um dia, depois de mais um dos raros momentos sofisticados de seu uso. Chega então, o momento do banho em águas morna com detergente igualmente especial e caro.

Como tudo tem seu fim na existência, o copo escorrega e cai ao chão.

O dia logo fica nublado e banhado por um vento sinistro...

Foram dias lindos vividos ao lado dele... Muitas lembranças maravilhosas de celebrações... Mas agora, o copo se foi. O copo quebrou. O copo precisa descansar em paz...

O copo pode ser substituído, pessoas não. O copo pode ser comprado novamente, pessoas são insubstituíveis. Copos de cristal podem ser encontrados em uma loja qualquer, pessoas jamais são iguais. O copo logo poderá ser esquecido, pessoas jamais serão esquecidas.

Pessoas valem mais que qualquer objeto ou coisas; seja um lindo copo de cristal, seja o carro mais caro do mundo.

Pessoas valem mais que pássaros. Pessoas já foram compradas e não estão mais à venda. O preço?

Sangue e cruz!

Mateus 10 : 31

sexta-feira, 13 de março de 2009

SÓ TENHO MEDO DE TER MEDO...


Jailson Freire

Motivos não nos faltam. O pavor sempre está à espreita pronto para fazer mais uma vítima.

O que devia ser uma exceção tornou-se regra. O que não era pra acontecer, agora é fato iminente. Isso aterrorizante. Isso nos tira o sono.

O que poderá acontecer nos próximos minutos? Que tipo de impacto podería acontecer a qualquer de nós? Em que momento? Não. Não dá para prever... Não dá para estar preparado. Ninguém jamais esteve preparado. Ninguém imagina isso; não é por falta de imaginação.

Um pai. Uma criança inocente. Uma mãe sorridente e de repente: Cadê? Cadê o sorriso da mãe? Cadê a esperança do pai? Cadê a criança?

Daí em diante o filme na tela chama-se “O pavor inacreditável”. Para alguns, estatística. Para os “outros”, tormenta.

Um filme que pode durar uma eternidade ainda que o pavor acabe em final feliz.

É assim que nos sentimos vez por outra diante da violência. O exemplo é apenas um entre tantos, mas o medo pode ter várias facetas. O sofrimento pode estar numa prateleira com diversos sabores; sabores de morte e tristeza.

Sendo assim o que no fundo desejamos é ter asas e voar pra longe dessa festa macabra e maligna... Talvez um lugar que ainda não exista, pelo menos para nós que somos turistas.

O que fazer diante disso tudo?

Quanto a mim... Só tenho medo de ter medo. Só tenho medo de que Deus não esteja comigo!


Salmo 55: 5 e 6
(Eu leria tudo)

domingo, 1 de março de 2009

VOCÊ SABE QUAL É A BOA?


Jailson Freire

Pense um instante comigo no quanto somos confrontados com tantas notícias que, na maioria das vezes, nos fazem perder o pouco da fé que ainda nos resta na humanidade.

Uma notícia aqui, outra acolá e em quase todas o que vemos em comum é lamentação e choro. O que vemos é gente sendo machucada e ferida.

Quando alguém se vai e vira notícia, é certo de que na questão está envolvida negligência, covardia, maldade, inveja, ciúmes, paixões e... Frutos da carne são de fato, frutos muito perversos.

Somos maus sim... Meninos e meninas muito malvados.

Buscamos sempre nos aperfeiçoarmos na pratica da maldade. Criamos verdadeiras máquinas de aniquilamento do nosso próximo e sempre acreditamos ingenuamente, que o mundo seria bem melhor se apenas “eu” e mais ninguém vivesse por aqui... Quanta estupidez!

Criamos e inventamos coisas que quando não são objetos do nosso desejo desenfreado e que para tê-los fazemos qualquer negócio. Coisas que muitas vezes são a causa do nosso auto-abatimento e lamento.

Esperamos com isso, que o nosso sorriso permaneça congelado mesmo que o choro seja uma paisagem morta nos rostos de nossos semelhantes. Nos sentimos “realizados” quando fazemos parte do grupo dos que possuem, ainda que um dia, o que possuímos vire lixo.

Isso tudo impressiona... Não é fácil admitir que fazemos parte de uma “raça” que tenha essas desqualificações, pelo menos para muitos de nós que ficamos como estáticos diante das notícias a respeito do que somos capazes de fazer.

Mas o que mais impressiona é saber que apesar de tudo isso, Deus ainda acredita que haja algo de bom em nós... Deus ainda aposta que muitos podem sim possuir o seu caráter. Ele apostou tudo que tinha nisso. Ele entregou o seu tesouro para que a coroa da sua criação fosse resgatada... De tudo isso, você sabe qual é a boa?

Deus ainda gosta de nós.


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3 : 16)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

MELHOR AINDA...


Jailson Freire

Culpa; um sentimento horrível que nos envolve sem piedade. Um sentimento gelado que sem qualquer cerimônia nos aniquila a alma trazendo um peso enorme sobre a nossa existência e nos fazendo perder a calma.

Por causa dela, muita gente deixou de viver faz tempo... Muita gente deixou de caminhar em direção ao prêmio prometido e estão muito cansados para continuar na caminhada da vida. Ela, a culpa, é uma vilã impiedosa e a todo custo, tenta paralisar a nossa vontade de viver.

A culpa nos torna tristes e sem motivos para sorrir. A culpa é parasita em nossa alma e precisa ser removida. Precisa ser arrancada sem hesitação. Precisa nos abandonar para que a roda de nossa existência possa seguir livre e desemperrada na estrada da vida.

Só quem se livrou dela é que sabe o quão maravilhoso é poder caminhar desimpedido deste peso maldito. Só quem recebeu o perdão, antídoto contra os males provocados pela culpa, sabe do que está falando esse seu irmão.

Não há como seguir sem estar perdoado. Não há como viver sem a certeza de que o que passou, passou e não mais será lembrado. Não há como estar alegre sem que esteja convicto de que o Senhor da vida estendeu as suas mãos para nos conceder um novo dia... Uma nova chance... Uma nova proposta de caminhada todo dia. Isso chamamos graça!

Não tente entender graça. Nem se atreva a explicar, pois se você conseguir definir em seu coração o significado de graça, nenhuma graça terá.


Receber o perdão divino para as nossas mancadas diárias é algo maravilhoso demais para ser entendido; é graça. Sentir-se livre da culpa... Hum... Isso é melhor ainda.


Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. (Rom 3:24)

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

SABE PAI...

Jailson Freire



Sabe Pai... (silêncio)... Faz tempo a gente não conversava... Faz tempo... (silêncio)... Faz tempo a gente não falava sobre coisas simples, mas que enchia o meu coração de alegria; coisas que fazia meu coração sorrir mesmo quando parecia que tudo estava perdido.

Sabe Pai... Tenho tanta coisa pra te falar, mas não sei como devo... (lágrimas...)... Ah essa vida!


Sabe Pai... A vida é algo tão maravilhoso, mas ao mesmo tempo tão estranho... Tão contraditório... Tudo passa tão depressa... Tudo parece não ter tanto sentido quanto deveria ter.

Sabe Pai... As coisas desta vida são tão fugaz... Tudo é tão... Tão... Tão sem graça sem Você...


Sabe Pai... O tempo em que eu estive longe de você foi um tempo de muita angústia... Não consigo entender como pude pedir o que eu achava ter direito e ter partido para uma terra estranha, de desamor e castigo...


Sabe Pai... Passei fome... Muita fome de paz e alegria... Senti saudades... Saudade do tempo em que conversávamos... Senti muita falta do seu afago... Senti não ter ninguém para dividir meus dramas e segredos...

Sabe Pai... Comi do que os porcos comiam e por muito tempo até achei sabor naquele alimento miserável... (lágrimas)...

Sabe Pai... Não imaginava que você me amava tanto assim... Não merecia ser aceito de volta... Não merecia o banquete... Não merecia o anel que colocou em meu dedo... O que fiz foi injustificável... (Não pra Você...).

Sabe Pai... Não tenho palavras para agradecer por ter me abraçado daquele jeito... Eu estava tão sujo... Tão mal cheiroso e ainda assim você me abraçou com seu amor incondicional e me fez ficar tão constrangido que não tenho nem palavras. Seu amor é mesmo constrangedor...

Sabe Pai... Lamento profundamente ter te deixado tão triste quando partir em busca de uma felicidade ilusória e sem sentido... Agora eu sei...

Sabe Pai... Eu nunca vou entender o amor que ainda sente por mim mesmo depois de tudo que fiz...

Sabe Pai... De tudo que aprendi uma coisa preciso te dizer: Não há vida de verdade longe de Você.

Papai... Bom estar de volta. Bom estar perto de você!


"E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente." Lucas 15:13)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

VO_ C:\ FORMAT, SISTEMA ATACADO!


Jailson Freire


Apagar a memória do computador é algo relativamente simples para muitos de nós, mas apagar algo da nossa memória é uma tarefa deveras complicada. E isso é motivo para muita dor de cabeça.

A vida precisa acontecer, mas fatos que povoam as nossas mentes, nos paralisam e nos fazem estar em situação de mau funcionamento da alma. Queremos acontecer junto com a vida, mas a vida acontece; nós não. Algo precisa ser feito!

Como prosseguir sem que a conta esteja zerada. Sem que a sentença esteja anulada. Sem que as mancadas sejam perdoadas. Sem que a ofensa seja esquecida definitivamente? Como prosseguir com um dedo apontado para nós que prejudica a nossa visão de futuro? Como prosseguir sem a certeza de que seremos perdoados? Sem a convicção de que passado é passado? Como neutralizar o vírus que corrói a nossa memória?

Vidas paralisadas e sistemas de auto-ego incapaz de executar o programa da existência sem dor por causa de almas penadas de lembranças mofadas.

É necessário o antídoto. É necessária a cura. É preciso o livramento do embaraço... É necessário fazer de novo. É necessário lembrar mais uma vez da única forma de formatação dessa memória. É urgente o sacrifício já realizado e pouco acreditado em situação de pânico da alma assombrada.

Ele pode fazer de novo, Ele pode limpar o sistema existencial. Ele pode formatar a sua memória. Acredite!

Vamos lá... Digite VO_C:\ FORMAT e aguarde a formatação do seu passado. REINICIE a sua vida e digite JESUS. COM.VC.

Comece de novo.